quarta-feira, 15 de abril de 2015

Gotas de Canela

Todo o ser humano, em algum momento da sua vida, acaba por viver e se envolver em momentos que, na verdade, são vividos de forma ilusória. São fruto dos seus desejos e imaginação. Dando asas ao que não tem mas que gostaria de se ter tido; reflectindo os pensamentos que não pensa mas que gostaria de ter pensado; ouvindo o que não ouve mas que gostaria de ter ouvido; estando com quem não está mas que gostaria de ter estado; sonhando o que não sonha mas que gostaria de ter sonhado. Tanta fantasia por detrás de uma realidade tão distante. Porque teimar em não dizer o que tanto se quer dizer? Porque teimar em não viver o que tanto se quer viver? Muitas palavras e pouca coragem, fazem com o que o ser Humano fique preso àquelas que são meramente as suas fantasias e ideais, impedindo-o de viver a vida de forma autêntica, dificultando aquele que pode ser o seu caminho para a felcidiade. 


Porque fechar as portas da imaginação ao concreto da vida? Só assim se poderão obter as respostas às perguntas tantas e tantas vezes colocadas pelo ser humano, mas que por falta de coragem, tardam em chegar. Na vida, nada acontece por acaso, mas para o acaso, também é preciso ter coragem. Coragem de viver. Coragem de ser autêntico. Para que a vida não passe em branco e as pessoas não vivam a fantasiar com gotas de canela. As gotas são ilusórias. O importante está no conteúdo. Muitas vezes, grandes são os sonhos que construímos em cima de pessoas que vivem de gotas de canela. Para se viver uma vida autêntica, há que ser autêntico. Há que ter conteúdo.


Texto de RAFC